quinta-feira, 19 de novembro de 2020

PHOTOS 2020 OF THE HAFATZA IN BRAZIL :) NNNNM!!!

HH,  graças à D-us, e o desejo de muitas pessoas que fazem parte do movimento Na Nach, mais de 3000 unidades entre livretos Azamra e "O Rei Que Decretou a Conversão" foram entregues e distribuídas gratuitamente em 2020 como brinde de vendas nas maiores e mais tradicionais lojas judaicas do Brasil localizadas na cidade de São Paulo - SP. Estas lojas são: Super K, All Kosher, LIvenn, Sefer e entre outras.


Também foram entregues livretos Azamra e "O Rei Que Decretou a Conversão" para várias pessoas na região nordeste, a saber nos estados de Sergipe, Bahia e Ceará.

 

 



Além disso, muitas outras cidades também receberam os ensinamentos de R' Nachman. Veja as fotos abaixo:

 

 

SÃO JOÃO DA BOA VISTA - SP

 


 
Mais de 4000 unidades do livreto Azamra, contendo o Tikkun Haklali e o o conto de R' Nachman chamado de  A FIlha Perdida do Rei, distribuídas na cidade paulista de São João da Boa Vista - SP.

WHATSAPP: +05519999346879

BARUERI-SP

 


 
Cerca de 1000 unidades entre livretos Azamra e o livreto "O Rei Que Decretou a Conversão", o qual é o segundo conto de R' Nachman, também contendo o Tikun Haklali. Distribuídos pela livraria do parceiro Ismar da cidade de Baruei-SP.

WHATSAPP: +05511981534453

ESPIRITO SANTODO PINHAL - SP

 


 
Cerca de 900 unidades do livreto Azamra distribuídos na cidade de Espirito Santo do Pinhal -SP


ANDRADAS - MG

 






 
Mais de 3000 unidades do livreto Azamra distribuídos na cidade mineira de Andradas, state of Minas Gerais.


RIO DE JANEIRO - RJ

 


 
Mais de 400 unidades do livreto "O Rei Que Decretou a Conversão" na capital do state of Rio de Janeiro, através do colega Paulo Schneider.

WHATSAPP: +05521989850912

SAQUAREMA - RJ

 









 
Mais de 400 unidades entre livretos Azamra e "O Rei Que Decretou a Conversão" na cidade carioca de Saquarema -RJ. Através do colega Rogério Failaz. Além disso foram entregues várias unidades de adevisos e amuletos kumaya feitos pelos breslev na nach de Eretz Israel. bs"d

 WHATSAPP: +05522999449956

BARRETOS -SP


Mais de 400 unidades dos livretos Azamra distribuídos pelo colega Yosef na cidade de Barretos-SP.

 WHATSAPP: +05517992422849

 

PORTO ALEGRE - RS E OUTRAS CIDADES DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

Mais de 5000 unidades de livretos Azamra e 5000 unidades do livreto "O Rei Que Decretou a Conversão" distribuídas pelo colega Natan na capital Porto Alegre -RS e outras cidades do Rio Grande do Sul.

WHATSAPP: +0555196028216

GROUPS NA NACH BRASIL:

https://chat.whatsapp.com/EjNYCfEYvxW6nHrF8QZmpz

https://chat.whatsapp.com/DDNyS0J7wHfAp3Id2Yc2NB 

 

GROUP ENGLISH/HEBREW SPEAKING NA NACH:

https://chat.whatsapp.com/CtUm4GWWlEhKHCMTzxwIDY

 

 

 

 

 

Continue Lendo...

domingo, 16 de agosto de 2020

O Rei Que Decretou a Conversão - A Mitzvá da Alegria - A importância da Prece

Introdução


    Apresentamos neste pequeno livreto o conto
"O Rei Que Decretou Conversão", chamado
"História de Milagres", um dos "Contos de Tempos
Antigos" de Rebe Nachman de Breslev (4 de Abril
de 1772 - 16 de Outubro de 1810). Estes contos
são muito elevados e estão imbuídos de segredos
da Torá. O intelecto da Torá está neles oculto,
possuindo, assim, o poder de aproximar o
indivíduo a D'us.


    Em seguida vem a Lição 24 do Likutey
Moharan Parte 2, que traz a famosa frase
(transformada em música) "Mitzvá gedolá lihiot
beshimchá tamid" (É uma grande mitsvá estar
sempre alegre). Aqui será possível ver a sequência
destas palavras animadoras.


    Por fim, a Lição 25 do Likutey Moharan Parte
2, que traz outro ensinamento básico do grande
Rebe: a meditação e prece espontânea ao Criador.


    Que as palavras aqui trazidas possam trazer
mérito a todo o povo de Israel e a todo o mundo, e
que desta forma D'us nos salve de todas as
epidemias que se alastram pelo mundo, tanto
físicas como espirituais.


     O Rei Que Decretou Conversão

     Havia uma vez um rei que decretou em
seu país a expulsão por meio de decretos
anti-religiosos. Quem quisesse ficar no país
teria que se converter; caso contrário, seria
expulso. Alguns renunciaram a todas as
suas propriedades e riquezas e partiram na
pobreza, de forma a permanecerem com
sua fé judaica. Outros, lamentando a perda
de suas riquezas, permaneceram lá,
tornando-se marranos. Secretamente
praticavam a religião judaica, mas
publicamente não se comportavam como
judeus.


    O rei faleceu e o seu filho se tornou
rei. Ele começou a governar o país com
mão firme, conquistou muitos países e era
um grande sábio. Porém, como controlava
com severidade os ministros do reino, estes
se reuniram e conspiraram para eliminar o
monarca e sua descendência.

    Entre os ministros estava um dos
marranos, que refletiu: “Por que sou um
marrano? Porque lamentei a perda do meu
dinheiro e propriedades. Quando o país
ficar sem rei, as pessoas comer-se-ão vivas
umas às outras, pois é impossível ter um
país sem um governante”. Por este motivo,
decidiu ir sozinho ao rei, sem o
conhecimento dos outros ministros, e
avisá-lo. Ele contou ao soberano que
estavam conspirando contra ele. O rei
investigou se era verdade e, confirmada a
veracidade, deixou guardas a postos. Na
noite do atentado, os ministros foram
presos e o rei julgou cada um de acordo.
 

    O rei disse ao ministro marrano: “Que
honra posso dar-lhe por ter salvo a mim e à
minha descendência? Se eu quisesse fazer
de você ministro - você já o é de qualquer
forma. Se fosse dar-lhe riquezas - você já
as tem. Diga que honra deseja e irei
concedê-la”. O marrano perguntou: “Mas

    Vossa Alteza fará o que eu pedir?” O
monarca respondeu: “Sim, certamente farei
o que você quiser”. O marrano disse: “Jure
por sua coroa e por seu reino”. O rei jurou.
O marrano disse: “A minha principal honra
é poder ser judeu publicamente, colocar
talit e tefilin publicamente”.


    O rei ficou muito zangado, pois em
todo o seu país não era permitido viver
abertamente como judeu. Contudo, devido
ao juramento, não teve outra escolha; ele
jurou que faria o que seu ministro pedisse.
Pela manhã, o marrano colocou talit e
tefilin publicamente.


    Depois disso o rei faleceu e o seu filho
tornou-se rei. Ele começou a governar o
país pacificamente, pois viu como
quiseram eliminar seu pai. Ele conquistou
diversos países e era um sábio muito
grande.


    Certa vez ordenou a todos os astrólogos
que se reunissem para revelar de que forma
a sua descendência poderia ser destruída,
para que assim pudesse se proteger. Os
astrólogos disseram que a sua
descendência não seria destruída, desde
que ele se resguardasse do boi e do
carneiro, e escreveram isso no Livro das
Crônicas. O monarca ordenou aos seus
filhos para governarem o país de modo
pacífico, tal como ele havia feito, e faleceu.


    Seu filho se tornou rei e começou a
governar o país severamente, tal como seu
avô, conquistando muito países. Ele
decretou que não houvesse nenhum boi ou
carneiro em seu reino, para que sua
descendência não fosse destruída.
Raciocinando que assim não precisaria ter
medo de nada, governou o país de forma
muito severa e tornou-se um sábio muito
grande.

    Então ele idealizou um plano de como
conquistar o mundo inteiro sem recorrer à
guerra. Existem sete regiões no mundo,
pois, como é sabido, o mundo é dividido
em sete partes. Existem também sete
corpos celestiais [lua, sol, marte, etc.] e
cada corpo celestial brilha numa parte do
mundo. Similarmente, existem sete tipos
de metal [ouro, prata, bronze, etc.] e cada
um dos corpos celestiais brilha em um tipo
de metal.


    O monarca juntou todos os sete tipos de
metal e ordenou que fossem trazidos todos
os retratos de todos os reis, feitos de ouro,
que pendiam em seus palácios. Disso tudo
ele moldou um homem: sua cabeça era de
ouro, seu corpo de prata e os outros
membros eram dos outros tipos de metal.
Assim, o homem continha todos os sete
tipos de metal.

    Ele colocou a imagem numa montanha
alta e todos os sete corpos celestiais a
iluminavam. Quando alguém precisava de
um conselho ou queria saber se era para
fazer determinado negócio ou não, ele se
colocava próximo ao membro da estátua
feito com o tipo de metal correspondente à
parte do mundo de onde ele era
proveniente e pensava se devia fazê-lo ou
não. Se fosse para fazer, o membro acendia
e brilhava. Se não, escurecia. Assim, o
monarca conquistou o mundo inteiro e
acumulou uma imensa fortuna.


    Porém, a estátua humana só tinha esse
poder com a condição de que o rei
rebaixasse os orgulhosos e elevasse os
humildes. Ele formulou um decreto real,
estipulando que todos os generais e
ministros com cargos de alto-escalão e
privilégios fossem a sua presença. Quando
se apresentaram diante dele, rebaixou-os de
posto e retirou-lhes os cargos. Mesmo
aqueles que já recebiam privilégios desde a
época de seu trisavô, ele os tirou.
Promoveu pessoas humildes e as colocou
no lugar da elite rebaixada. Entre os
ministros rebaixados estava o marrano. O
rei perguntou-lhe: “Quais são os seus
privilégios e responsabilidades?” Ele
respondeu: “Meu privilégio é ter permissão
para ser judeu em público, devido ao favor
que fiz ao seu avô.” O rei retirou o
privilégio e ele voltou a ser um marrano.


    Certa noite, o rei se deitou para dormir
e viu num sonho que o céu estava claro, e
ele podia ver todas as doze Constelações
do Zodíaco [As estrelas no céu estão
divididas em doze partes correspondentes
aos doze meses do ano. Uma parece um
carneiro (Áries) e é a constelação do mês
de Nissan; a constelação do mês de Iyar é
chamada de Touro; e assim cada mês
possui sua constelação]. Ele viu que dentre
as Constelações do Zodíaco, o boi (Touro)
e o carneiro (Áries) estavam rindo dele. O
monarca acordou com grande ira e ficou
aterrorizado. Ordenou que fosse trazido o
Livro das Crônicas (o livro onde tudo era
escrito). Ele viu que estava escrito que sua
descendência seria destruída pelo boi e
pelo carneiro. Um grande temor tomou
conta dele. Ele relatou o sonho à rainha e
um grande temor recaiu sobre ela e seus
filhos. Sua alma ficou muito perturbada.
Ele convocou intérpretes de sonhos, mas
cada um interpretou do seu ponto de vista e
suas opiniões não o agradaram. Um imenso
temor recaiu sobre ele.


    Então, um sábio se aproximou e disse lhe que tinha uma tradição recebida de seu pai que o sol tinha trezentos e sessenta e
cinco cursos, e havia um lugar onde todos
os cursos lá brilhavam. Ali crescia um
bastão de ferro e alguém que tivesse medo,
quando fosse àquele lugar, seria curado de
seu medo. O rei aprovou a ideia e foi com
sua esposa, filhos e toda sua descendência
até aquele lugar, juntamente com o sábio.
No meio do caminho havia um anjo que
era encarregado da raiva, pois através da
raiva um anjo destrutivo é formado, e ele
estava no comando de todas as forças
destrutivas. As pessoas lhe perguntavam o
caminho, pois há um caminho reto diante
do homem, um cheio de lama, outro cheio
de buracos e poços e vários outros
caminhos. Há um caminho onde havia um
grande fogo e a uma distância de quatro
milhas desse fogo, a pessoa era queimada.


    Eles perguntaram o caminho e o anjo
indicou aquele onde havia o fogo. A
comitiva real seguiu em frente,
acompanhada pelo sábio. O sábio olhava
sempre adiante para ver se havia aquele
fogo, pois ele tinha uma tradição do seu pai
que lá havia este fogo. Depois de algum
tempo de viagem ele avistou o fogo e viu
que reis e judeus vestidos com talit e tefilin
caminhavam através das chamas. Sendo
que nos países daqueles reis os judeus
podiam viver livremente, eles podiam
caminhar através do fogo. O sábio disse ao
rei: “Eu tenho uma tradição familiar de que
uma pessoa pode incinerar-se a quatro
milhas do fogo e por isso não quero
continuar. Se quiser, continue”. O rei viu
os outros reis caminhando através do fogo
e pensou que também poderia. O sábio
insistiu: “Eu tenho esta tradição do meu
pai, por isso não quero ir. Se Vossa
Majestade quer ir, vá por sua conta”. O rei
foi com sua descendência e o fogo os
consumiu, queimando a todos. Quando o
sábio voltou ao palácio, os ministros
ficaram perplexos com o final do rei: "Uma
vez que ele tinha se resguardado do boi e
do carneiro, como ocorreu de ser destruído,
ele e sua descendência?"


    O ministro marrano disse: “Ele foi
destruído por minha causa. Os astrólogos
viram, mas não entenderam o que viram.
Do couro do boi é feito o tefilin e da lã do
carneiro são feitas as franjas do talit.
Através deles, ele e sua descendência
foram destruídos. Aqueles reis em cujos
países os judeus podiam vestir o talit e o
tefilin livremente caminharam através do
fogo e não sofreram mal algum. Ele
pereceu porque os judeus que vestem talit
e tefilin foram proibidos de viver em seu
país. É por isso que o boi (Touro) e o
carneiro (Áries) do Zodíaco riram dele e os
astrólogos viram, mas não entenderam o
que viram. Foi por essa razão que ele e sua
descendência foram destruídos."

A Mitzvá da Alegria
Lição 24 do Likutey Moharan Parte 2

É uma grande mitsvá estar sempre
alegre e se esforçar ao máximo para afastar
a tristeza e a depressão. Todas as doenças
que afligem as pessoas são resultado
somente do deterioramento da alegria.


    Há dez tipos de melodia que
simbolizam alegria, como está escrito
(Salmos 92:4-5) "Sobre o instrumento de
dez cordas ... pois Você, D’us, fez-me
alegre com seus atos" [Os dez tipos de
melodia são as dez linguagens utilizadas no
livro dos Salmos: Cântico, BemAventurado, Benção, Melodia, etc. Vide o
final deste livreto]. Estes dez tipos de
melodia penetram nos dez tipos de pulsos,
e os sustentam [De acordo com a Cabalá, a
força-vital flui no corpo ritmicamente de
acordo com dez padrões, relacionados aos
dez tipos de pontuação da língua hebraica].
Portanto, quando há uma deterioração e
falha na alegria - que é equivalente aos dez
tipos de melodia - os dez tipos de pulsos
tornam-se irregulares (devido ao dano nos
dez tipos de melodia, que são a alegria)
causando doenças, uma vez que todos os
tipos de doenças estão contidos nos dez
tipos de pulsos. Similarmente, todos os
tipos de melodia estão contidos nos dez
tipos de melodia. As doenças surgem de
acordo com a ruína da alegria e da
melodia. Médicos eminentes discorreram
extensamente sobre isso - que toda doença
é causada por depressão e tristeza e a
alegria é um grande remédio.


    No futuro, a alegria irá crescer
tremendamente. Por essa razão, nossos
Sábios, de abençoada memória, disseram:
"No futuro, D’us será o cabeça da cholá
(roda) dos Justos nos dias por vir" (Talmud
Yerushalmi, Megilá 2:4). Ou seja, Ele fará
um machol (roda de dança) e Ele será o
cabeça da cholá (roda) – pois a Presença
Divina paira sobre a cabeça do cholé
(doente), como estudaram nossos Sábios
(Talmud Nedarim 40a): "D’us o sustentará
em seu leito de morte", uma vez que o
doente não tem nenhuma vitalidade;
apenas a Presença Divina o mantém.


    Assim sendo, no futuro todas as
doenças serão curadas pela alegria. D’us
será o cabeça da cholá (roda), ou seja, o
cabeça do machol (roda de dança) - porque
a alegria é o remédio do cholé (doente).
Por isso a alegria e a dança são chamadas
cholá - porque são o remédio da cholaat
(doença).


    A regra é que é necessário se esforçar
ao máximo para estar sempre alegre o
tempo todo. É da natureza humana levar-se
pela depressão e tristeza em razão das
vicissitudes e infortúnios da vida. Por
consequência, toda pessoa é cheia de
sofrimento. À vista disso, é preciso forçar a
si mesmo com grande determinação para se
manter sempre alegre, alegrando-se de
todas as formas possíveis - até mesmo com
comportamentos cômicos.


    Mesmo que um 'coração quebrado'
seja algo muito bom, deve ser somente por
um breve período. É correto fixar um
período no dia para se arrepender e se
expressar diante de D’us (como é trazido
em nossas obras), mas no restante do dia
deve-se estar alegre. O arrependimento
leva à depressão mais facilmente do que o
risco de eventualmente cair em alguma
frivolidade através da alegria, sendo mais
provável vir de um 'coração quebrado' para
a depressão. A pessoa deve, por
conseguinte, estar sempre alegre, e
somente em um período designado do dia,
ter o 'coração quebrado'.


A Importância da Prece
Lição 25 do Likutey Moharan Parte 2

    A meditação é a virtude mais elevada
e maior que tudo. Consiste em fixar um
período para se isolar em um quarto ou no
campo, e, com alegações e pretextos,
expressar-se diante do Criador, utilizando
palavras que evocam favor, apaziguam e
conciliam, a fim de suplicar e rogar a D'us
que o aproxime a Ele - ao verdadeiro
serviço Divino.

Esta prece e conversa deve ser em sua
    Esta prece e conversa deve ser em sua
língua nativa, pois (para alguém que não
fala hebraico nativamente) é difícil
expressar em hebraico tudo que deseja
falar. Além disso, o coração não é levado
pelas palavras, porque não é nosso costume
falar em hebraico. Porém, em nossa língua
nativa, na qual falamos e conversamos, é
mais fácil e possível 'quebrar o coração'. O
coração é atraído e está mais próximo de
sua língua nativa, por estar acostumado
com ela. Em sua língua nativa a pessoa
pode expressar-se por completo. Ela pode
revelar e contar a D'us tudo que há em seu
coração: seja remorso e arrependimento
pelo passado, ou súplicas para conseguir se
aproximar Dele genuinamente daqui em
diante, ou algo do gênero; cada um de
acordo com seu nível.


    A pessoa deve cuidar-se muito para
tornar isso um hábito diário, num horário
específico. Já no restante do dia deve ficar
alegre, como mencionado acima (Vide
Lição 24).


    Esta prática é de extrema
importância. É um ótimo caminho e
conselho para se aproximar de D'us,
porque é uma orientação geral, que
engloba tudo. Em relação a tudo que lhe
falta no serviço Divino - ou se está
totalmente afastada dele - a pessoa deve
expressar-se e pedir auxílio a D'us.


    Mesmo se porventura não tiver
palavras e não conseguir abrir a boca para
falar com D'us, isso em si é muito bom.
Isto é, sua prontidão e presença diante de
D'us e seu desejo e anseio por falar, mesmo
sem conseguir - isto em si também é muito
bom. Além disso, é possível fazer uma
conversa e prece desta situação em si. A
pessoa deve gritar e suplicar a D'us sobre
isso mesmo - que se distanciou tanto que
nem mesmo consegue falar. Ela deve pedir
a D'us por compaixão e graça, para que se
apiede dela e abra sua boca para que possa
expressar-se diante Dele. Saiba que vários
grandes e renomados tzadikim
(justos,sábios) relataram que chegaram ao
seu elevado nível espiritual somente
através desta prática.

Lição 25

A pessoa inteligente entenderá
sozinha a relevância desta prática, a qual
ascende às mais altas esferas espirituais.
Além disso, é algo acessível a todos, do
menor ao maior, pois todos podem se
utilizar desta prática e alcançar um alto
nível espiritual - feliz aquele que segue!


    De modo semelhante, é bom
transformar o estudo em prece. Isto é,
quando a pessoa estuda ou escuta um
ensinamento do tzadik (justo, sábio)
verdadeiro, deve transformá-lo em uma
prece. Deve pedir e suplicar a D'us a
respeito de tudo que está mencionado
naquele ensinamento: Quando ela,
também, terá o mérito de atingir tais
níveis? E quanto está distante disso! Deve
pedir a D'us que a faça ter o mérito de
alcançar tudo o que foi dito naquele
ensinamento.

    D'us guiará o sábio e o desejoso da
verdade no caminho da verdade. Ele
entenderá sozinho uma coisa a partir de
outra em relação a como aplicar esta
prática, de forma que suas palavras irão
evocar favor e serão bem articuladas,
apaziguando D'us para que Ele o aproxime
de Seu verdadeiro serviço.

    Esta forma de diálogo ascende a um
lugar muito elevado, especialmente quando
a pessoa transforma um ensinamento em
uma prece, trazendo grandes deleites aos
Mundos Superiores.

TIKUN HAKLALI

 
    Rebe Nachman de Breslev proclamou na frente
de dois de seus alunos (como testemunhas):

    Depois do seu falecimento, quem vier
ao seu túmulo (na cidade de Uman,
Ucrânia), ler estes dez capítulos do livro
dos Salmos (chamados de Tikun
Haklali) e der uma moeda de doação em
elevação de sua alma, mesmo que seus
pecados sejam muito grandes, ele (Rebe
Nachman) se esforçará e fará tudo o que
puder para ajudar esta pessoa. “Pelas
suas peyot vou tirá-lo até mesmo do
mais profundo abismo. Eu sou forte em
todas as coisas que faço, mas nisso sou
ainda mais forte”.
    Atenção: Primeiro é trazido o versículo em
hebraico transliterado, depois a tradução em
português. O principal é falar no hebraico.


Retificação geral

Hareiní mekasher atzmí baamirat
haasará mizmorim eilu lechol
hatzadikim haamitiim she be´doreinu.
Ulechol hatzadikim haamitiim shochnei
afar kedoshim asher ba´aretz hema.
Uvifrat le´rabeinu hakadosh tzadik yesod
olam “nachal novea mekor chochmá”
(mishlei) rabeinu nachman ben feigue na
nach nachma nachman meuman zechutam
yaguen aleinu ve´al kol israel amén.


É extremamente propício doar para caridade (ou pelo
menos separar um valor) ainda que sejam centavos em
mérito do Rebe Nachman de Breslev antes de recitar o
Tikun HaKlali, a Retificação Geral.
Por meio desta eu me conecto ao recitar estes capítulos
dos Salmos a todos os verdadeiros justos da nossa
geração e a todos verdadeiros justos que já faleceram,
os santos que existem na terra, e especificamente ao
nosso mestre santo, fundação do mundo, córrego
jorrante fonte da sabedoria (Provérbios), Nachal Novea
Mekor Chochmá, (acrônimo de NaChMaN), nosso
mestre Na Nach Nachma Nachman MeUman, possa
seu mérito nos proteger e a todo Israel, Amen!


Lirefuat
David Chaim ben Yocheved Luba N"Y


Leilui nishmat
Yocheved Luba bat Yehoshua Z"L
Chana bat Efraim Z"L
David ben Mordechai Z"L
Feiga bat Aharon Z"L
Yehoshua ben Avraham Hersch Z"L

Observação:
Na transliteração, o CH vem no lugar do RR (ou J
em espanhol) (Ex: Baruch se lê baruj; michtam,
mijtam; etc)

1. Lechu neranená l'Adonai, naría
letzur ishênu;
Lechú - Venham, cantemos ao Eterno, toquemos o
shofar (em júbilo) à Rocha de nossa salvação.

2. Nekadmá panav be'todá, bi'zmirot
naaría lo.
Aproxime-nos Dele com agradecimentos; louvêmo-Lo
com cânticos de louvor

3. Ki El gadol Adonai u'Mélech gadol al
kol elohím.
Pois O Eterno é um grande Todo-Poderoso e um grande
Rei acima de todos os seres celestiais.

16 -(Berachá)
1. Michtam ledavid, shomrêni El ki
chassiti vach;
“Michtam” de David. Proteja-me, ó Eterno, porque
em Ti busquei refúgio.

2. Amart ladonai, Adonai áta, tovati
bal alêcha;
Ao meu D’us proclamei: És meu Senhor e meu
Benfeitor, e nada há para mim acima de Ti.

3. Licdoshim asher baárets
veadirei col cheftsi vam;
Quanto aos puros e santos da terra, são as figuras
ilustres com quem me comprazo.

4. Yirbu atsevotam, acher maharu, bal
assich niskeihem midam, uval essa et
shemotam al sefatai;
Porém, padecerão severas penas aqueles que
trocam sua confiança no Eterno por falsos deuses.
Não participarei das libações com o sangue de
suas oferendas e seus nomes não serão
pronunciados por meus lábios.

5. Adonai menat chelki vechossi, atá
tomich gorali;
O Eterno é a porção da minha herança e do meu
cálice. É de minha sorte, o sustentáculo.

6. Chavalim nafelu li baneimim, af
nachalat shafera alai;
Aprazíveis e amenos são os lugares a mim
destinados, bela é a minha herança.

7. Avarech et Adonai asher ieatsáni,
af leilot yisserúni chil’iotai;
Bendirei ao Eterno que me guia; e até de noite, me
adverte o coração.

8. Shivíti Adonai lenegdi tamid, ki
mimini bal emot;
Estou sempre consciente da presença do Eterno;
estando Ele à minha direita, nada poderá me
abalar.

9. Lachen samach libi vaiáguel kevodi,
af bessari yishcon lavêtach;
Por isto se alegra meu coração, se regozija minha
alma, descansa seguro meu corpo.

10. Ki lo taazov nafshi lish’ol, lo
titen chassidechá lir’ot shachat;
Pois ao abismo não abandonarás a minha alma,
nem permitirás que com a corrupção eu me
depare.

11. Todiêni orach chayim, sóva
semachot et panêcha, neimot biminchá
nétsach;
Far-me-ás conhecer a vereda da vida; em Tua
Presença a alegria se torna plena; à Tua Destra,
as delícias são eternas.

32 - (Ashrei)
1. Ledavid maskil, ashrei nessui pêsha
kessui chataá;
De David, um “Maskil”. Bem-aventurado aquele
cuja transgressão é perdoada e seu pecado é
relevado.

2. Ashrei adam lo iach’shov
lo avon, veein beruchó remiá;
Bem-aventurado o homem que o Eterno não
considera iníquo e em cujo espírito não há
falsidade.

3. Ki hecheráshti
beshaagati col haiom;
Enquanto calei, meus ossos se definhavam e
meus gemidos ecoavam todo o tempo

4. Ki iomam valaila tichbad alai
iadêcha, nepach leshadi becharvonei
cáyits séla;
Pois dia e noite pesava Tua mão sobre mim e
desvanecia minha força.

5. Chatati odiachá vaavoni lo chissíti,
amarti odê alei feshaai ladonai, veatá
nassáta avon chatati séla;
Então, meus pecados a Ti confessei e minha
iniquidade não encobri; eu disse: “Confessarei
minhas transgressões para o Eterno”, e Tu
perdoaste a iniquidade do meu pecado.

6. Al zot yitpalel col chassid elêcha
leet metso, rac leshétef máim rabim
elav lo iaguíu;
Por isso, suplicará a Ti todo devoto no momento
propício, para que a correnteza das águas
revoltas não o alcance.

7. Ata séter li (*Pausar) mitsar titserêni,
ranei falet tessovevêni séla;
Tu és meu abrigo, dos infortúnios me guardas;
com cânticos de salvação me envolves.

8. Askilechá veorechá bedérech zu
telech, iatsá alêcha eini;
Diz o Eterno: “Instruir-te-ei e te guiarei no caminho
a seguir; Meus olhos sobre ti te orientarão".

9. Al tihiú kessus keféred ein havin,
beméteg varéssen edió livlom bal
kerov elêcha;
Não sejam como o cavalo ou como a mula que
não possuem compreensão, e que apenas com
rédea e cabresto podem ser domados, e que não
se aproximam de ti.

10. Rabim vehabotêach iessovevênu;
mach’ovim badonai larashá, chéssed iessovevênu;
Muitos são os sofrimentos do ímpio, porém aquele
que confia no Eterno, a benevolência o envolve.

11. Simchu vadonai veguílu tsadikim,
veharnínu col yishrê lev;
Alegrem-se no Eterno e rejubilem-se, ó justos, e
exultai todos os retos de coração.

41 - (Maskil)
1. Lamenatsêach mizmor ledavid;
Ao mestre do canto, um salmo de David.

2. Ashrei maskil el dal, beiom raá
iemaletêhu Adonai;
Bem-aventurado aquele que atenta para o
debilitado; no dia de seu infortúnio o Eterno o
livrará.

3. Adonai yishmerêhu vichaiêhu
veushar baárets, veal titenêhu benéfesh
oievav;
Ele o guardará e o fará viver, será feliz na terra e
não será entregue às mãos de seus inimigos.

4. Adonai yis’adênu al éres devai, col
mishcavó hafáchta vecholió;
Na enfermidade o Eterno lhe dará amparo; seu
leito guardará quando uma doença o acometer.

5. Ani amárti Adonai chonêni, refaá
nafshi ki chatáti lach;
Eu pedi: “Concede-me Tua graça, ó Eterno, e cura
minha alma, mesmo tendo eu pecado contra Ti”.

6. Oivay iomeru ra li, matai iamut
veavad shemó;
Meus inimigos só me desejam mal: “Quando
perecerá e quando será erradicado seu nome?”

7. Veim ba lir’ot shav iedaber, libo
yicbats áven lo, ietse lachuts iedaber;
Se vem me visitar, são insinceros; maldade lhe
preenche o coração, e ao sair só notícias más
divulgarão.

8. Iachad alai yit’lachashu col soneai,
alai iach’shevu raá li;
Se unem para, contra mim, murmurar,
pensamentos malévolos a mim dirigem.

9. Devar beliáal iatsuc bo, vaasher
shachav lo iossif lacum;
Maligna doença o acometeu. Caído está e não
conseguirá se reerguer.

10. Gam ish shelomi asher batachti vo
ochel lachmi, higdil alai akev;
Até o amigo em quem confiei e que partilhava de
meu pão também me traiu.

11. Veatá Adonai chonêni vahakimêni,
vaashalemá lahem;
Mas Tu, ó Eterno, compadeceste de mim.
Levanta-me e lhes darei a resposta merecida.

12. Bezot iadáti ki chafáts’ta bi, ki lo
iaría oievi alai;
Saberei assim que Te comprazes em mim e que,
portanto, não triunfará sobre mim meu inimigo.

13. Vaani betumi tamáchta bi,
vatatsivêni lefanêcha leolam;
Incólume me sustentarás e em Tua presença me
manterás para sempre.

14. Baruch Adonai Elohei Yisrael
mehaolam vead haolam, amen veamen;
Bendito seja o Eterno, D’us de Israel, para todo o
sempre. Amen! Assim seja!

42 -(Shir )
1. Lamenatsêach maskil livnei Côrach;
Ao mestre do canto, um “Maskil” dos filhos de
Côrach.

2. Keaial taarog al afikei máim, ken
nafshi taarog elêcha Elohim;
Como um cervo que anseia pelas fontes de água,
assim minha alma Te busca, ó D’us meu.

3. Tsamea nafshi lelohim leel chai,
matai avó veeraê penei Elohim;
Ela está sedenta de Ti, ó D’us vivo; quando
poderei contemplar Tua Divina face?

4. Haieta li dim’ati léchem iomam
valáila, beemor elai col haiom aiê
Elohêcha;
Minhas lágrimas foram, dia e noite, meu alimento,
enquanto todos questionavam: “Onde está teu
D’us?”

5. Êle ezkerá veesh’pechá alai nafshi,
ki eevor bassach edadem ad beit
Elohim, becol riná vetodá hamon
chogueg;
Recordo, e isto me conforta a alma, quando
precedia multidões seguindo para a Casa do
Eterno, com voz de júbilo e louvor.

6. Ma tishtochachi nafshi vatehemi
alai, hochíli lelohim ki od odênu ieshuót
panav;
Por que te abates, então, alma minha? Por que
angustias o meu ser? Espera em D’us, pois ainda
ei de louvá-Lo por Sua Presença salvadora.

7. Elohai alai nafshi tishtochach, al ken
ezcorchá meérets Iarden vechermonim
mehar mits’ar;
D’us meu, esmorecida está a minha alma e penso
em Ti na terra do Jordão, do Hermon e do monte
Mizar;

8. Tehom el tehom corê lecol
tsinorêcha, col mishbarêcha vegalêcha
alai aváru;
Do abismo as águas chamam as torrentes no troar
de suas cataratas, e todos os vagalhões se
precipitaram sobre mim.

9. Iomam ietsavé Adonai chasdó
uvalaila shiró imi, tefilá leel chaiai;
Possa, durante o dia, derramar o Eterno Seu
carinhoso desvelo, para que, à noite, eu Lhe eleve
uma canção, uma prece ao D’us de minha vida.

10. Omerá leel shechachtáni,
láma beláchats oiev;
E eu imploro: “D’us, minha Rocha, por que me
esqueceste? Por que devo caminhar nas trevas
sob a pressão de meus inimigos?”

11. Berétsach beatsmotai cherfuni
tsorerai, beomram elai col haiom aiê
Elohêcha;
Como uma espada perfurando meu corpo, soam
para mim as ironias de meus opressores, que só
vivem a me dizer: “Onde está teu D’us?”

12. Ma tishtochachi nafshi umá tehemi
alai, hochili lelohim ki od odênu ieshuót
panai velohai;
Por que te abates, então, alma minha? Por que
angustias o meu ser? Espera em D’us, pois ainda
ei de louvá-Lo por Sua Presença salvadora, ó
D’us meu.

59 -(Nitzuach)
1. Lamenatsêach al tash’chet ledavid
michtam, bishlôach Shaul vayishmeru
et habáyit lahamitó;
Ao mestre do canto, “Al Tash’chet”, um “Michtam”
de David, quando Saul enviou homens para
vigiarem a sua casa com o objetivo de matá-lo.

2. Hatsilêni meoievai,
mimitcomemai tessaguevêni;
Salva-me de meus inimigos, ó meu D’us;
fortalece-me contra os que contra mim se
levantam.

3. Hatsilêni mipôalei áven, umeanshei
damim hoshiêni;
Salva-me dos malfeitores,
livra-me dos sanguinários.

4. Ki hinê arvu lenafshi, yaguru alai
azim, lo fishi velo chatati Adonai;
Pois eles me preparam uma emboscada; homens
ferozes se unem contra mim, mas não por causa
de minhas transgressões ou dos meus pecados, ó
Eterno.

5. Beli avon yerutzun veykonanu, ura
likrati ureê;

Mesmo que não pesem sobre mim iniquidades,
eles se apressam em preparar-se para lutar contra
mim. Vê o que ocorre e vem em meu auxílio;

6.Veata Adonai Elohim Tsevaót Elohei
Yisrael, hakítsa lifcód col hagoyim, al
tachon col bogdei áven séla;
Ó Eterno, Senhor dos exércitos, D’us de Israel,
vem e julga o procedimento de todas as nações;
não favoreças os traidores perversos.

7. Iashúvu laérev iehemu chacálev
vissovevu ir;
Eles vêm a cada noite, uivando como cães e
rondando a cidade.

8. Hinê iabiun befihem charavót
bessiftotehem, ki mi Shomêa;
De suas bocas provêm bramidos; palavras
cortantes como espadas estão em seus lábios.
Quem escuta?

9. Veata Adonai tis’chac lámo, til’ag
lechol goyim ;
Mas Tu, Eterno, deles Te ris, zombas de todas estas
nações.

10. Uzo elêcha eshmôra, ki Elohim
misgabi;
Ó minha Fortaleza, espero por Ti! D’us é meu
baluarte!

11. Elohei chasdi iecademêni, Elohim
iar’êni veshorerai;
Meu D’us misericordioso virá em minha ajuda; Ele
me proporcionará alegria pelo fracasso de meus
inimigos.

12. Al taharguem pen yish’kechú ami,
haniêmo vechelechá. 

 Não os destruas para que não esqueça meu povo
como nos salvaste, mas dispersa-os com Teu
poder e humilha-os, ó Eterno, nosso escudo
protetor.


13. Chatat pímo devar sefatêmo,
veyilachedú vigueonam umeala
umicachash iessapêru;
Por causa de suas palavras mentirosas e seus
lábios pecadores! Sejam vitimados por sua própria
arrogância, e pelas imprecações e perfídias que
brotam de seus lábios.

14. Calê vechemá calê veeinêmo,
veiedeú ki Elohim moshel beiaacov
leafsei haárets séla ;
Destrói-os em Tua ira; dá-lhes fim para que não
mais possam existir, e para que até os confins da
terra se possa saber que o Eterno é quem reina
sobre o povo de Jacó.

15. Veiashúvu laérev
iehemú chacálev, vissovevu ir;
Eles retornam a cada noite, uivando como cães,
rondando a cidade.

16. Hema ieniun leechol, im lo yisbeú
vaialínu;
Eles vagueiam à cata de comida e gemem quando
não a encontram.

17. Vaani ashir uzêcha vaaranen
labóker chasdêcha, ki hayíta misgav li
umanos beiom tsar li ;
Quanto a mim, cantarei elegias a Teu poder e
exaltarei a cada manhã Tua benevolência, pois Tu
tens sido meu abrigo e meu refúgio em tempos
difíceis.

18. Uzi elêcha azamêra, ki
Elohim misgabi Elohei chasdi;
Ó minha Fortaleza, hinos cantarei em Teu louvor,
pois és o D’us de meu abrigo, ó D’us de minha
misericórdia.

77- (Nigun)
1. Lamenatsêach al iedutun leassaf
mizmor;
Ao mestre do canto, com “Iedutun”, um salmo de
Assaf.

2. Coli el Elohim veets’áca, coli el
Elohim vehaazin elai;
Minha voz, em clamor, levarei ao Eterno; sim,
minha voz alçarei e Ele me ouvirá

3. Beiom tsarati Adonai daráshti, iadi
laila niguerá velo tafug, meana
hinachem nafshi;
No dia de minha aflição, ao Eterno busquei; por
toda a noite, sem cansar, estendi minhas mãos em
súplica, e consolo recusa minha alma.

4. Ezkerá Elohim veehemáia, assícha
vetit’atef ruchi Séla;
Recordo, ó Eterno, dos tempos felizes de outrora,
e geme meu coração e desfalece meu espírito.

5. Acházta shemurot enai, nif’amti veló
adaber;
Manténs abertos meus olhos e, em minha aflição,
não consigo falar.

6. Chishávti iamim mikédem, shenot
olamim;
Reflito sobre os dias que já se foram, sobre os
anos passados.

7. Ezkerá neguinati balaila, im levavi
assícha, Vaiechapes ruchi;
Lembro melodias de canções, medito em meu
íntimo e meu espírito inquire.

8. Haleolamim yiznach Adonai, velo
iossif lirtsot od;
Irá o Eterno nos desprezar para sempre? Não
voltará a Se reconciliar?

9. Heafes lanétsach chasdo, gámar
ômer ledor vador;
Acaso esgotou-se Sua misericórdia para sempre?
Porventura anulou Sua promessa às gerações
vindouras?

10. Hashachach chanot El, im cafats
beaf rachamav séla;
Terá o Eterno Se olvidado da compaixão? Terá
Sua ira bloqueado Sua benevolência?

11. Vaomar chaloti hi, shenot iemin
Elion.
E me respondo: “É minha a culpa por ter o Eterno
mudado a posição de Sua Destra!

12. Ezcor maalelei Iá ki ezkerá mikédem
pil’êcha;
Lembro os feitos do Eterno, recordo os atos
maravilhosos do passado.

13. Vehaguíti vechol paolêcha, uvaalilotêcha assícha;

Medito sobre Tuas obras e relato o que fizeste.

14. Elohim bacódesh darkêcha, mi El
gadol kelohim;
Ó Eterno, santo é o Teu caminho; quem, como Tu,
pode ser tão poderoso?

15. Ata hael ôsse féle, hodáta vaamim
uzêcha;
Tu és o D’us que opera maravilhas e a todos os
povos anuncias Teu poder.

16. Gaálta bizrôa amecha, benei Iaacov veiossef séla;
Com Teu braço redimiste Teu povo, os filhos de
Jacó e José.

17. Raúcha máim Elohim, raúcha máim
iachílu, af yirguezú tehomot;
As águas Te perceberam, ó D’us; elas Te viram e
tremeram, até os abismos fremiram.

18. Zoremu máim avot col natenu
shechakim, af chatsatsêcha yit’haláchu;
As nuvens despejaram suas águas, os céus
trovejaram, foram lançadas Tuas setas

19. Col raamcha bagalgal, heíru
verakim tevel, raguezá vatir’ash
haárets;
Propagou-se o som de Teu trovão, relâmpagos
iluminaram o mundo, abalou-se e estremeceu a
terra.

20. Baiam darkêcha, ushevilêcha
bemáim rabim, veikevotêcha lo nodáu;
No mar abriste Teu caminho, Tua trilha em meio às
águas caudalosas, sem que Teus passos fossem
percebidos

21. Nachíta chatson amêcha, beiad
Moshé veaharon;
E, triunfalmente, pela mão de Moisés e Aarão,
conduziste como um rebanho Teu povo da
escravidão para a liberdade.

90 - ( Tefilá)
1.Tefilá lemoshé ish haelohim, Adonai,
maon atá hayíta lánu bedor vador;
Oração de Moisés, o homem de D’us. Ó Eterno,
tens sido nosso abrigo por todas as gerações.

2. Betérem harim iuládu vatecholel
érets vetevel, Umeolam ad olam atá
El;
Antes que se formassem as montanhas, antes que
fosse criada a terra, de eternidade a eternidade, Tu
é D’us.

3. Tashêv enosh ad
dacá, vatômer shúvu venei adam;
Fazes o homem tornar ao pó e dizes:
“Arrependei-vos, ó filhos do homem!”

4. Ki élef shanim beeinêcha keiom
etmol ki iaavor, veashmurá valaila;
Ante Ti, mil anos são como um dia que passou,
como uma vigília noturna.

5. Zeramtam shená yihiu, baboker
kechatsir iachalof;
Tu os arrebatas e os conduzes ao sono; sua vida
é como a da relva passageira.

6. Baboker iatsits vechalaf, laérev
iemolel veiavesh;
Ela viceja e cresce pela manhã e, já ao anoitecer,
está murcha e seca.

7. Ki chalínu veapêcha, uvachamatechá
niv’hálnu;
Pois somos consumidos por Tua ira e conturbados
por Tua indignação.

8. Shata avonoteinu lenegdêcha,
alumênu lim’or Panêcha;
Exibiste ante Ti nossa iniquidade; nossos mais
secretos pecados são expostos à luz da Tua
Presença.

9. Ki chol iameinu panu veevratêcha,
kilínu shanênu chemo hêgue;
Na verdade escoam-se nossos dias sob Tua
desaprovação; gastamos nossos anos de vida
como um som que se desvanece.

10. Iemei shenotênu vahem shiv’im
shaná, veim bigvurot shemonim shaná
verobam amal vaáven, ki gaz chish
vanaúfa;
É de setenta anos a extensão de nossas vidas, ou,
para os mais fortes, oitenta anos. O que seria
orgulho e sucesso, não passa de fadiga e enfado,
pois rapidamente se esvai e termina.

11. Mi iodêa apêcha,
oz ucheyir’atechá evratêcha;
Quem compreende o poder de Tua cólera, para
temer, como deveria, Tua reprovação?

12. Limnot iamênu ken hodá, venavi
levav chochmá.
Ensina-nos com o contar de nossos dias a
alcançar a sabedoria do coração.

13 .Shuvá Adonai vehinachem al avadêcha
ad matai, vehinachem al avadêcha;

Volta-Te para nós, ó Eterno! AtéVolta-Te para nós, ó Eterno! Até quando teremos
de esperar? Volta-Te para Teus servos!
 

14. Sabeênu vabóker chasdêcha,
uneranená venismechá bechol iamênu;

Sacia-nos pela manhã com a Tua benignidade,
para que nos possamos regozijar e cantar ao
longo de nossos dias

15. Samechênu kimot initánu, shenot
raínu raá.
Alegra-nos na proporção dos dias em que nos
afligiste, dos anos em que nos abateu a
adversidade.

16. Ieraê el avadêcha faolêcha,
vahadarechá al beneihem;
Revela a Teus servos Tuas obras, e cobre Teus
filhos de Tua glória.

17. Vihi nôam Adonai Eloheinu
aleinu, umaassê iadeinu conená aleinu,
umaassê iadeinu conenêhu;
Que sobre nós pouse Tua graça; faze prosperar
as obras de nossas mãos; sim, a obra das nossas
mãos faze prosperar.

105- (Hodaá)
1. Hodú ladonai kir’u vishmó, hodíu
vaamim alilotav;

Louvai ao Eterno, proclamai o Seu Nome! Divulgai
entre todas as nações Seus feitos.

2. Shíru lo, zamerú lo, síchu bechol
nifleotav;
Entoai cantos e hinos narrando todos os Seus
prodígios.

3. Hit’halelu beshem codshó, yismach
lev mevac’shei Adonai;
Senti-vos glorificados em Seu santo Nome, e que
se alegrem os corações de todos os que buscam
o Eterno.

4. Dirshu Adonai veuzó, bakeshú fanav tamid;
Sim! Buscai sempre Sua Presença e Sua Força.

5. Zichru nifleotav asher assá, mofetav
umishpetê fiv;
Recordai Seus prodígios, Seus atos maravilhosos
e a justiça de seus julgamentos.

6. Zéra Avraham avdó , benei Yaakov
bechirav;
Semente de Abraão seu servo, filhos de Jacó,
seus escolhidos

7. Hu Adonai Eloheinu, bechol haárets
mishpatav;
Pois Ele, o Eterno, é nosso D’us e em toda a terra
são cumpridas Suas sentenças

8. Zachar leolam beritó, davar tsivá
leélef dor;
Lembrai-vos perpetuamente de Sua aliança, da
promessa empenhada a mil gerações.

9. Asher carat et Avraham, ushvuató
leyis’chac;
Do pacto que fez com Abrahão, de Seu juramento
a Isaac.

10. Vaiaamidêha leiaacov
lechoc, leyisrael berit olam;
Que confirmou a Jacó como lei imutável, e a Israel
como aliança eterna.

11. Lemor lechá eten et érets Kenáan,
chével nachalatchem;
Proclamando: “A ti darei a terra de Canaã, quinhão
de tua eterna herança.”

12. Bihiotam metei mispar, kim’at
vegarim ba;
Quando não passavam de um pequeno número,
estrangeiros naquela terra.

13. Vayit’halechu migoi el goi
mimamlachá el am acher;
E peregrinavam de nação em nação, de um povo
a outro.

14. Lo hiníach adam leoshcam,
vaiôchach aleihem Melachim;
A ninguém permitiu oprimi-los, e a reis repreendeu,
dizendo:

15. Al tigueú vimshichai, velinviai al
tarêu;
“Não toqueis nos Meus ungidos nem maltrateis
Meus profetas".

16. Vayicrá raav al haárets, col mate
léchem shavar;
Fome fez abater-se sobre a terra, que deixou de
produzir o pão que sustenta a vida.

17. Shalach lifneihem
ish, leéved nimcar Iossef;
Previamente, enviou José que como escravo foi
vendido.

18. Inú vakével ragló, barzel báa
nafshó;
Afligiram-no com correntes nos pés e grilhões em
sua alma.

19. Ad et bo devaró, imrat Adonai
tserafát’hu;
Até o momento em que se cumpriu Sua palavra e
a determinação do Eterno o redimiu.

20. Shálach mélech vaiatirêhu, moshel
amim vaiefatechêhu;
Ordenou o rei sua liberação, libertando-o o
governante das nações.

21. Samó adon leveito, umoshel
bechol kinianó.
Ele o tornou senhor de sua casa, deu-lhe poder
sobre todas as suas posses.

22. Leessor sarav benafshó, uzkenav
iechakem;
Para disciplinar seus príncipes e transmiti
sabedoria a seus anciãos.

23. Vaiavó Yisrael
Mitsráyim, veiaacov gar beérets Cham;
Veio então Israel ao Egito e morou na terra de
Cham.

24. Vaiéfer et amó meod,
vaiaatsimêhu mitsarav;
Tornou-o o Eterno extremamente fecundo,
fazendo-o crescer em números mais que os seus
inimigos.

25. Hafach libam lisnó amó,
lehit’nakel baavadav;
Transformou seus corações, fazendo neles
crescer o ódio a Seu povo, e planos malévolos
contra Seus servos.

26. Shalach Moshe avdó, Aharon
asher báchar bó;
Enviou então Moisés, Seu servo, e Aarão, Seu
escolhido.

27. Sámu vam divrei ototav, umofetim
beérets Cham;
Eles apresentaram Seus sinais no Egito, Seus atos
maravilhosos contra a terra de Cham.

28. Shalach chóshech vaiach’shich,
velo maru et devaro;
Fez descer as trevas e tudo escureceu, mas
mesmo assim se rebelaram contra Sua palavra.

29. Hafach et meimeihem ledam,
vaiámet et degatam;
Transformou em sangue suas águas e provocou
a morte dos peixes.

30. Sharats artsam tsefardeim,
bechadrei malcheihem;
Rãs se espalharam por sua terra, até mesmo nos
aposentos reais.

31. Amar vaiavó arov, kinim bechol
guevulam;
Por Sua ordem, hordas de feras e enxames de
piolhos os assolaram.

32. Natan guishmeihem
barad, esh lehavot beartsam;
Fez chover granizo e lançou fogo chamejante
sobre sua terra.

33. Vaiach gafnam uteenatam,
vaieshaber ets guevulam;
Devastou suas videiras e figueiras, e abateu as
árvores de seu território.

34. Amar vaiavó arbê, veiélec veein
mispar;
Por Seu comando, chegaram nuvens de
gafanhotos e lagartos.
35. Vaiôchal col essev beartsam,
vaiôchal peri admatam;
Que consumiram a relva e devoraram os frutos.

36. Vaiach col bechor beartsam, reshit
lechol onam;
Feriu de morte seus primogênitos, primeiros frutos
de sua força.

37. Vaiotsiem bechéssef vezahav,
veein bishvatav coshel;
Conduziu Israel carregado de ouro e prata, sem
que um inválido sequer houvesse em Suas tribos.

38. Samach Mitsráyim betsetam ,
ki nafal pachdam aleihem;
Regozijou-se o Egito com sua partida, pois grande
temor os acossara.

39. Paras anan lemassach, veesh
lehair laila;
Estendeu o Eterno uma nuvem como proteção e
uma coluna de fogo para iluminar à noite.

40. Shaal vaiavê selav, veléchem
shamáim iasbiem;
Pediram e foram atendidos, com codornizes e pão
dos céus, para saciá-los.

41. Pátach tsur vaiazúvu máim,
halechu batsiot nahar;
Fendeu uma rocha e dela jorraram águas que,
como um rio, se espraiaram sobre a terra árida.

42. Ki zachar et devar codshó, et
Avraham avdó;
Pois lembrou Sua santa palavra, dada a Abrahão,
Seu servo.

43. Vaiotsi amo vessasson, beriná et
bechirav;
Com regozijo, conduziu o Seu povo com canções
de júbilo de Seus eleitos.

44. Vayiten lahem artsot goyim,
vaamal leumim yiráshu;
Deu-lhes terras de outras nações e riquezas de
outros povos.

45. Baavur yishmerú chucav, vetorotav
yintsôru , haleluIá;
Para que guardassem Seus estatutos e
observassem Seus ensinamentos. Louvado seja o
Eterno! Haleluiá!

137 - (Mizmór)
1. Al naharot bavel, sham iashávnu
gam bachínu bezoch’rênu et Tsión;
Às margens dos rios da Babilônia, nos
sentávamos e chorávamos, lembrando de Tsión.

2. Al aravim betochá talínu kinorotênu;
Sobre seus salgueiros, penduramos nossas
harpas.

3. Ki sham sheelúnu shoveinu divrei
shir vetolaleinu simchá, shíru lánu
mishir Tsión;
Pois os que nos capturaram nos exigiam canções,
e nossos atormentadores pretendiam que os
alegrássemos, dizendo: “Cantai para nós algum
dos cânticos de Tsión.”

4. Eich nashir et shir Adonai al admat
nechar;
Como poderíamos entoar o cântico do Eterno em
terra estranha?

5. Im eshcachêch Ierushaláyim,
tishcach iemini;
Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, que perca
minha destra a sua destreza!

6. Tidbac leshoni lechiki im lo
ezkerêchi, im lo aalê et Ierushaláyim al
rosh simchati;
Que se cole minha língua ao palato, se não me
lembrar sempre de ti, se não
mantiver a
recordação de Jerusalém acima da minha maior
alegria.

7. Zechor Adonai livnei edom et iom
Ierushaláyim, haomerim áru áru ad
haiessod ba.
Quanto aos filhos de Edom, lembra contra eles o
dia da destruição de Jerusalém, porque diziam:
“Arrasai-a, arrasai-a até seus alicerces"

8. Bat bavel ashrei sheieshalem lach et Guemulech
shegamalt lánu;
Ó filha da Babilônia, destinada estás a ser
devastada; bem-aventurado será aquele que
retribuir a ti todo o sofrimento que nos infligiste.

9. Ashrei sheiochez venipêts et olaláyich el hassála;
Sim, bem-aventurado será aquele que teus filhos
esmagar contra uma rocha.

150 - (Haleluiá)
1. Haleluiá, halelú El becodshó,
haleluhú birkía uzo;
Louvado seja o Eterno! Vinde louvá-Lo em Seu
santuário; louvai-O diante do firmamento, onde se
manifesta Seu poder.

2. Haleluhú vigvurotav, haleluhú kerov
gudló;
Louvai-O pela grandeza dos Seus atos, louvai-O
como deve ser louvado por Sua extraordinária
dimensão.

3. Haleluhú betéca shofar, haleluhú
benével vechinor;
Louvai-O ao som do Shofar; louvai-O com o
saltério e a harpa.

4. Haleluhú betof umachol, haleluhú
beminim veugav;
Louvai-O com melodias e ritmo; louvai-O com a
música de órgãos e flautas.

5. Haleluhú vetsil’tselei sháma,
haleluhú betsil’tselei Teruá;
Louvai-O com o clangor de címbalos; louvai-O com
altissonantes trombetas.

6. Col haneshamá tehalel Iá, haleluiá!
Que todos os seres vivos louvem ao Eterno!
Louvado seja o Eterno! Haleluiá!


Após a leitura dos capítulos, deve-se recitar os 3 versículos
abaixo:


1. Mi iten miTzion yeshuat Israel beshuv
Adonai shevut amó, yaguel Yaakov ismach
Israel:

Se apenas a salvação de Israel viesse de Tzion,
quando D’us retornar do cativeiro seu povo, Yaakov se
alegrará; Israel exultará.

2. Utshuat tzadikim me'Adonai mauzam beét
tzará:

 
E a salvação dos justos vem de D’us, a fortaleza deles
nos tempos de angústia.

3. Vaiazrem Adonai vaifaletem, ifaletem
me'reshaim ve'ioshiem ki chassu bó.

 
E Ele os ajuda e os resgata. Ele os resgata do
perversos e os salva porque Nele confiaram.

É Mitzvá recitar este versículo todo dia, de manhã e à
noite:

''Ouve ó Israel, o Eterno é
nosso D'us, o Eterno é Um''

na nach nachma nachman meuma


Continue Lendo...

domingo, 14 de junho de 2020

AZAMRA - Procurando os Pontos Positivos: A Filha Perdida do Rei

Introdução
Apresentamos aqui três aspectos de Rebe Nachman de Breslev (4 de Abril de 1772 16 de Outubro 1810). Primeiramente uma de suas famosas estórias, que encantam com contos de tempos imemoriais, com suas princesas, gigantes e outras maravilhas – ao mesmo tempo que contém em suas alegorias segredos profundos da Torá. Depois trazemos a Torá 282 do Likutey Moharan, "Azamra", com sua mensagem de alegria e esperança. E por último, os dez capítulos de Salmos instituídos pelo Rebe, o chamado Tikun Haklali, ou Retificação Geral. Nossa intenção é que todos possam se aproximar da Torá e de D`s no seu próprio caminho, e não há ninguém como Rebe Nachman para orientar neste propósito.
 
A Filha Perdida do Rei 
Lirefuat David Chaim ben Yocheved Luba N"Y
Leilui nishmat Yocheved Luba bat Yehoshua Z"L
Chana bat Efraim Z"L David ben Mordechai Z"L
Feiga bat Aharon Z"L Yehoshua ben Avraham Z"L 
A Filha Perdida do Rei
 Ele (Rebe Nachman) ergueu a voz e disse: "Durante o caminho eu contei uma estória e todos que a escutaram tiveram um pensamento de arrependimento. A estória é a seguinte":
Havia uma vez um rei. Ele tinha seis filhos e uma filha.
A filha era muito preciosa aos seus olhos. Ele a amava excepcionalmente e maravilhava-se na sua presença.
Uma vez, quando estavam juntos num certo dia, ele se zangou com ela e as palavras "Possa o não-bom levá-la embora" escaparam de sua boca.
À noite ela foi para o quarto e na manhã seguinte ninguém sabia onde estava. O pai ficou desesperado 
 e saiu a procurá-la por todos os lugares. O vice-rei, vendo tamanha aflição, levantou-se e pediu ao rei que lhe fosse entregue um servo, um cavalo e dinheiro para as despesas, e saiu à procura dela. Ele procurou muito por ela, durante muito tempo, até encontrá-la. (Agora Rebe Nachman relata como o vice-rei procurou até encontrá-la.)
O vice-rei viajou por muito tempo, procurando por ela em todos os lugares: desertos, campos e florestas. E procurou por ela durante muito tempo. Ele seguia pelo deserto, quando viu um atalho, um caminho para o lado. Ele ponderou muito e decidiu: "Visto que tenho caminhado durante tanto tempo no deserto e não a encontrei, seguirei por este caminho. Talvez encontre uma povoação". E caminhou por muito tempo.
Então encontrou um castelo e várias legiões de soldados à sua volta. O castelo era muito bonito e as legiões estavam à sua volta em perfeita ordem, dando-lhe um ar digno e uma aparência imponente. Ele receou que os soldados não o deixassem entrar. O vice-rei pensou consigo mesmo: "Vou em frente   e tentarei entrar". Deixou o cavalo para trás e seguiu para o castelo. Permitiram-lhe entrar e nada fizeram para impedi-lo. Sem ser interrogado, caminhou de sala em sala. Chegou ao salão real, onde viu o rei sentado com sua coroa, e havia vários grupos de soldados à sua volta. Havia vários instrumentistas diante dele – era algo muito agradável e bonito.
Nem o rei ou qualquer outro naquela sala fez-lhe qualquer tipo de pergunta. Ele viu iguarias e boa comida na sala, foi lá e comeu. Depois se sentou num canto para ver o que aconteceria ali.
Ele viu que o rei ordenou trazerem a rainha e foram buscá-la. Houve grande comoção e muita alegria. A banda tocava e cantava intensamente enquanto a rainha entrava. Um trono foi colocado para ela e ela se sentou ao lado do rei. Era a filha do rei mencionada antes, e o vice-rei, ao vê-la, reconheceu-a.
A rainha olhou ao redor, viu alguém sentado num canto e o reconheceu. Ela se levantou de seu trono e foi falar com ele. Ela perguntou: "Você me conhece?" Ele respondeu: "Sim, conheço. Você é a  filha do rei que estava perdida”. Então ele perguntou: "Como você chegou até aqui?" Ela respondeu: "Porque meu pai manifestou-se com as palavras: 'que o não-bom possa levá-la embora', e aqui é o lugar que não é bom". Então ele relatou-lhe como seu pai estava muito abalado e como a tem procurado durante muitos anos.
Ele perguntou: "Como posso tirá-la daqui?" Ela respondeu: "É impossível tirar-me daqui, a não ser que escolha um lugar para ficar por um ano, e durante este ano você tem de ansiar por tirar-me daqui. Toda vez que tiver um tempo livre, deve ocupá-lo com essa vontade, e desejar e ter esperança de tirar-me daqui. E também deve jejuar. E no último dia do ano, deve jejuar e não dormir durante um período de 24 horas”.
O vice-rei retirou-se e assim o fez. No final do ano, no último dia, ele jejuou e não dormiu, levantou-se e foi até lá (ter com a filha do rei, com o propósito de tirá-la do castelo). Ele reparou numa árvore, na qual cresciam maçãs muito bonitas. Elas se tornaram desejáveis aos seus olhos e ele foi e comeu. Assim que comeu a maçã, imediatamente caiu, foi tomado por um sono profundo e dormiu  por muito tempo. O servo tentou acordá-lo, mas não conseguiu despertá-lo.
 Depois de muito tempo, acordou. Ele perguntou ao servo: "Onde no mundo estou?" Ele contou toda a história e disse: "Você esteve dormindo por muito tempo. Na verdade, foram muitos os anos em que você esteve adormecido e eu me alimentei com frutas”. O vice-rei ficou muito transtornado. Ele foi até o castelo e encontrou a filha do rei. Ela se lamentou muito com ele e demonstrou muita angústia. "Por causa de um dia você perdeu tudo (em outras palavras, porque você não conseguiu se controlar por um dia e comeu a maçã, você perdeu tudo), pois se tivesse vindo naquele dia, teria me tirado daqui. É verdade que é difícil não comer, especialmente no último dia - quando a tentação se torna muito forte (isto foi o que a filha do rei disse a ele, e agora ela iria tornar a proibição mais leve, e não seria proibido a ele comer, visto que era algo difícil de obedecer). Sendo assim, você deve escolher novamente um lugar e deve ficar lá também durante um ano. No último dia poderá comer; apenas não poderá dormir e não poderá beber vinho para não cair no sono. A coisa mais importante é evitar dormir." Ele foi e assim fez.   
No último dia, quando voltava para lá, ele viu uma nascente. A cor da nascente era vermelha e o cheiro era de vinho. Ele perguntou ao servo: "Você viu? Isto é uma nascente (que deveria ter água), mas sua cor é vermelha e seu cheiro é de vinho!" Ele foi e provou da nascente. Imediatamente desfaleceu e dormiu por muitos anos, 70 anos. Durante este tempo várias legiões de soldados passaram com vagões de equipamentos. O servo se escondeu dos soldados. Depois passou uma carruagem coberta e lá dentro ia a filha do rei. Ela parou perto dele, desceu e sentou-se ao lado dele. Ela o reconheceu. Ela o sacudiu fortemente para despertá-lo, mas ele não podia ser acordado. Ela começou a se lamentar e disse: "Tanto você lutou e se esforçou durante tantos anos, privando-se e trabalhando arduamente para me tirar daqui, e neste dia, quando isso deveria acontecer, você infelizmente perdeu a oportunidade." Ela chorou muito por tudo isso e disse: "Lamento muito, por você e por mim. Eu tenho estado aqui durante tanto tempo e não posso sair". Depois ela tirou o lenço da cabeça, escreveu nele com suas lágrimas e o colocou junto dele. Ela levantou-se, entrou na carruagem e partiu. 
Tempos depois o vice-rei acordou e perguntou ao servo: "Onde no mundo estou?" Ele contou toda a história, como várias legiões de soldados haviam passado e depois uma carruagem tinha estado ali e que a filha do rei havia chorado por ele e dito: "Lamento muito por você e por mim…", etc (tal como relatado antes). Nesse ínterim, ele olhou e notou que havia um lenço caído ao seu lado e perguntou: "De onde veio isso?" O servo respondeu: "A filha do rei o deixou e escreveu nele com suas próprias lágrimas".
O vice-rei pegou o lenço e o colocou contra o sol. Ele começou a ver as letras e leu o que lá estava escrito: as lamentações dela e os seus gritos, e que agora não estava mais naquele castelo (que foi mencionado antes), e que ele deveria procurar uma montanha dourada e um castelo de pérolas. "Lá você me encontrará".
Então ele (o vice-rei) deixou o servo para trás e foi sozinho procurá-la. Ele procurou-a por muitos anos. Logo concluiu que numa área povoada não iria encontrar uma montanha dourada e um castelo de pérolas, pois ele era perito em mapas do mundo.  "Eu irei pelos desertos e procurarei lá". Ele foi e procurou por ela nos desertos durante muitos anos. Depois de muito tempo, viu um homem muito grande, cujo tamanho não podia ser considerado humano. Ele carregava uma enorme árvore. Numa área povoada, tal árvore era impossível de ser encontrada. O gigante perguntou-lhe: "Quem é você?" Ele respondeu: "Eu sou um humano". O gigante ficou maravilhado e disse: "Tenho estado por muito tempo no deserto e nunca tinha visto um ser humano por aqui antes!" O vice-rei relatou toda a história e que procurava a montanha dourada e o castelo de pérolas. O gigante respondeu: "Com certeza tais coisas não existem". Ele tentou fazê-lo desistir da ideia, desencorajando-o e dizendo: "Você foi convencido de algo sem sentido algum, pois isso com certeza não existe!" Ele começou a chorar amargamente (o vice-rei chorava muito) e disse: "Com certeza tem de existir, tem de ser possível encontrar em algum lugar!" Ele o dissuadiu (o gigante o desencorajou) dizendo: "Você foi convencido de algo sem sentido". E ele (o vice-rei) disse: "Definitivamente tem de existir em algum lugar". 
O gigante falou: "Em minha opinião isto é ridículo, mas como você está obstinado, tentarei ajudá-lo. Eu estou no comando de todos os animais. Vou chamar todos - eles correm por todo o mundo - talvez um deles conheça essa montanha e o castelo".
Ele chamou todos os animais selvagens, desde o menor ao maior, e lhes perguntou sobre a montanha e o castelo. Todos responderam que não tinham visto tal coisa. O gigante disse: "Vê, foi lhe contado algo sem sentido. Se quiser dar-me ouvidos, volte para trás. Com certeza nunca irá encontrar tais coisas, pois não existem em parte alguma do mundo". E o vice-rei teimosamente insistia e dizia: "Com certeza existem!".
O gigante disse ao vice-rei: "Olhe, eu tenho um irmão mais à frente no deserto que está no comando de todas as aves. Talvez elas saibam, já que voam alto. Talvez elas tenham visto essa montanha e o castelo. Vá até ele e diga que eu o enviei".
Ele procurou durante muitos anos, até que encontrou um homem muito grande, que também carregava uma árvore muito grande e que o questionou como o primeiro. Ele (o vice-rei)  respondeu, contando-lhe toda a história, e que o seu irmão o havia enviado a ele. E também ele (o irmão) tentou desencorajá-lo visto que era óbvio que tais coisas não existiam, e o vice-rei argumentou que certamente existiam. Ele disse (o segundo gigante disse ao vice-rei): "Eu estou no comando de todas as aves. Vou convocá-las, talvez elas saibam". Ele chamou todas as aves e perguntou a elas, desde a menor até a maior. Elas responderam que não conheciam aquela montanha com o castelo. Ele disse: "Não está vendo? Isso com certeza não existe em parte alguma do mundo! Se quiser dar-me ouvidos, volte para casa, pois claramente tais coisas não existem!" E ele (o vice-rei) insistiu, dizendo: "Isso com certeza existe em alguma parte do mundo!". Ele disse (o segundo gigante disse ao vice-rei): "Mais à frente, no deserto, está o meu outro irmão. Ele está no comando de todos os ventos e eles percorrem o mundo todo. Talvez eles conheçam".
Ele procurou durante muitos anos e encontrou um gigante que carregava uma árvore muito grande, que também o questionou. Ele respondeu contandolhe toda a história. Esta pessoa também o tentou desencorajar e o vice-rei argumentou com ele   também. Ele lhe disse (este terceiro homem ao vicerei) que ia fazer-lhe um favor, que chamaria todos os ventos e lhes perguntaria. Então chamou todos os ventos e eles vieram. Ele perguntou a todos, mas nenhum deles sabia da montanha com o castelo. Ele disse ao vice-rei: "Você não consegue ver que lhe contaram algo sem sentido?" O vice-rei começou a chorar profusamente e disse: "Eu tenho certeza de que existe!".
Enquanto conversavam, ele reparou que outro vento havia chegado. O comandante, muito zangado, perguntou: "Por que chegou tão tarde? Não ordenei que todos viessem? Por que você não veio com eles?" Respondeu o vento: "Eu me atrasei porque tive de transportar a filha do rei para uma montanha dourada com um castelo de pérolas". Ele ficou radiante (o vice-rei se encheu de alegria, pois finalmente ouviu o que tanto desejava).
O comandante dos ventos perguntou ao vento: "O que é valioso naquele local? (que coisas são consideradas preciosas e importantes por lá?)" Ele respondeu: "Lá tudo é valioso!" O comandante dos ventos voltou-se para o vice-rei e disse: "Visto que a tem procurado durante tanto tempo e investido  tantos esforços, você não pode deixar tudo se perder por falta de dinheiro. Vou lhe dar um recipiente e sempre que colocar sua mão lá dentro, receberá dinheiro". Ele ordenou ao vento que o levasse (o vice-rei) até o local. O vento tempestuoso veio e o levou até lá, deixando-o no portão.
Batalhões de soldados estavam ali e não o deixaram entrar na cidade. Então ele pôs a mão dentro do recipiente, tirou dinheiro para suborná-los e entrou na cidade. A cidade era linda e ele foi ter com uma pessoa muito rica que tinha uma pensão, e alugou um quarto com comida. Ele precisava ficar por ali algum tempo, porque seria necessário usar de sabedoria e inteligência para estruturar um plano de como levá-la dali. (Como ele a tirou de lá, o Rebe não contou). No final, ele a tirou de lá. Amen Selah! 
 Saiba que é necessário julgar todas as pessoas favoravelmente. Mesmo alguém que é completamente perverso, é necessário procurar e encontrar nele um pouco de bom, que nesse pouco ele não seja perverso. Ao se encontrar nele um pouco de bom e o julgar favoravelmente, esta pessoa é elevada verdadeiramente ao lado meritoso da balança, e isso pode fazê-lo retornar em Teshuvá (arrependimento).
Este é um aspecto do versículo (Salmos 37:10) "E mais um pouco e não haverá uma pessoa perversa; você irá contemplar seu lugar e ela não estará lá". Este versículo nos ensina a julgar todos favoravelmente; e mesmo que veja que a pessoa é completamente perversa, ainda assim deve procurar e buscar encontrar nela um pouco de bom, em que nisso ela não seja perversa.
E isto é: "E mais um pouco e não haverá uma pessoa perversa", ou seja: você precisa procurar nela um pouco de bom que possua, em que nisso ela não seja perversa. Pois mesmo sendo perversa, como é possível que não haja nela um pouco de bom, como é possível que não tenha feito uma mitsvá ou uma boa ação em sua vida? E através de encontrar nela um pouco de bom em que nisso não seja perversa e julgá-la favoravelmente, você a eleva da dimensão da culpa para a dimensão do mérito, até que assim retornará em Teshuvá. E isto é: "E mais um pouco e não haverá uma pessoa perversa", pois através de se encontrar no perverso um pouco de bom em que nisso ele não seja perverso, "e irás contemplar seu lugar e ela não estará lá". Ou seja: quando você contemplar e observar seu lugar e nível, ele não estará mais lá em seu lugar inicial, pois através que encontram nele mais um pouco de bom, algum ponto positivo, e o julgam favoravelmente, através disso o tiram da dimensão da culpa para a dimensão do mérito. E isto é: "e irás contemplar seu lugar e ela não estará lá", como explicado acima, e entenda isso.
Da mesma forma, também o indivíduo deve encontrar um ponto bom em si mesmo. É sabido  que a pessoa deve cuidar-se de estar sempre alegre e afastar por completo a tristeza (como já foi explicado várias vezes por nós).
E mesmo se começar a inspecionar-se e constatar que não possui nada de bom e que está repleto de falhas, e com isso sua má inclinação deseja fazê-lo cair em tristeza e depressão, Hashem nos livre – mesmo assim é proibido abalar-se com isso.
A pessoa deve procurar e encontrar em si um pouco de bom, pois como é possível que não fez em sua vida alguma mitsvá ou boa ação? E ao encontrar algo bom, mas perceber que há muitas falhas e é imperfeito, ou seja: a pessoa constatar que também a mitsvá e a ação sagrada que teve o mérito de executar está repleta de interesses próprios, pensamentos estranhos e vários defeitos, ainda assim, como é possível que não haja nessa mitsvá ou ação sagrada algo de bom? Seguramente houve algum ponto positivo na mitsvá e boa ação que fez. A pessoa deve buscar encontrar em si um pouco de bom para animar-se e alcançar a alegria.    Através de procurar e encontrar um pouco de bom, ela sairá da dimensão da culpa para a dimensão do mérito e poderá fazer Teshuvá no aspecto de "E mais um pouco e não haverá uma pessoa perversa; você irá contemplar seu lugar e ela não estará lá", como mencionado. Em outras palavras: assim como é necessário julgar os outros favoravelmente (até mesmo os perversos) e encontrar neles alguns pontos positivos – o que os tirará da dimensão da culpa para a dimensão do mérito, em um aspecto de "E mais um pouco ... e irá contemplar", assim também a pessoa deve julgar a si mesma favoravelmente e encontrar em si algum ponto positivo para fortalecer-se e não cair totalmente, Hashem nos livre. Deve animar-se e alegrar sua alma mesmo com o pouco de bom que encontrou em si, ou seja: o mérito que teve de fazer uma mitsvá ou boa ação. Aí, então, deve procurar mais e encontrar em si outras coisas boas. E mesmo se também estiverem repletas de impurezas, ainda assim deve retirar de lá algum ponto positivo.   Assim deve procurar e acumular mais pontos positivos.
Desta forma são criadas melodias; tratase de um aspecto de tocar um instrumento musical, que é um aspecto de coletar o bom espírito do espírito deprimido, espírito triste (como explicado no discurso "E foi ao fim", Torá 54, no Likutey Moharan). [Em resumo: como é sabido, a música sagrada é algo extremamente elevado e a melodia é feita basicamente da separação do bom do ruim; através de se separar e colher os pontos positivos de dentro do mal, são feitas melodias e canções. (Confira na fonte acima)].
Portanto, ao não se deixar abalar, mas animar-se com a busca, encontrar em si pontos positivos e extrair esses pontos positivos de dentro do ruim e impuro que há nela, através disso são feitas melodias e aí a pessoa pode rezar, cantar e agradecer a Hashem.
É sabido que quando a pessoa se abala por causa de sua parte física e más ações ao constatar que está extremamente afastada da santidade, na maioria das vezes ela não consegue sequer rezar    nem abrir sua boca por causa da grande tristeza e depressão que recaem sobre ela ao verificar quão distante está de Hashem. Porém quando se anima utilizando-se do conselho acima (ou seja: mesmo sabendo que possui más ações e muitos pecados e que está extremamente afastada de Hashem, ainda assim procura, busca e encontra em si alguns pontos positivos, animando-se e alegrando-se com isso – pois certamente é correto a pessoa aumentar sua alegria com cada ponto positivo da santidade de Israel que encontra em si) ela consegue rezar, cantar e agradecer a Hashem. Este é um aspecto do Salmo (146:2): "Cantarei ao S-nhor com o pouco que tenho"; ou seja: com o pouco que tenho, que encontro em mim, um aspecto de “E mais um pouco e não haverá uma pessoa perversa", como mencionado. Com este pouco poderei cantar e agradecer a Hashem. E isto é “Cantarei ...” – ou seja: cânticos e melodias feitos através da coleta dos pontos positivos, como explicado acima.
[E o nosso Rebe, de abençoada memória, alertou muito para vivermos com esta Torá (lição),   pois é um fundamento básico para todos os que querem aproximar-se de Hashem e para que não percam o seu Mundo Vindouro. A principal causa do afastamento da maioria das pessoas que estão afastadas de Hashem é a depressão e a tristeza, pois caem em seu autoconceito ao verem o tamanho do estrago que seus atos causaram, cada um de acordo com o que conhece de suas mágoas e dores. Aí ficam desenganadas e a maioria desiste por completo. Consequentemente não rezam apropriadamente e não fazem nem aquilo que ainda poderiam fazer.]
Isto é algo que a pessoa deve entender muito bem: todas as quedas na autoestima – mesmo que pelas más ações que tenha praticado – e a tristeza e depressão que se seguem são puramente obra da má inclinação, que enfraquece sua mente para que caia por completo, Hashem nos livre. Por isso é necessário fortalecer-se muito e ir com esta Torá, procurando e buscando em si a todo momento um pouco de bom e pontos positivos, etc, como mencionado anteriormente. Desta maneira o    indivíduo se animará e aguardará sua salvação, e poderá rezar, cantar e agradecer a Hashem num aspecto de "Cantarei ao S-nhor com o pouco que tenho". Assim conseguirá retornar de verdade a Hashem, como mencionado.
 E saiba que quem consegue criar essas melodias, ou seja: coletar os pontos positivos de cada um de Israel (inclusive dos pecadores, como mencionado), poderá rezar diante do púlpito (guiar a reza, ser chazan). Aquele que reza diante do púlpito é chamado sheliach tzibur (enviado da congregação) e ele deve ser o enviado de toda a congregação, ou seja: precisa juntar todos os pontos positivos que existem em cada um dos congregantes, e todos os pontos positivos devem incluir-se nele, e ele deve erguer-se e rezar com todo esse bem – isto é o sheliach tzibur (enviado da congregação). É necessário que possua um aspecto elevado e que através deste aspecto todos os pontos irão desejá-lo e se incluirão nele.
Quem consegue criar as melodias mencionadas acima, ou seja: consegue julgar todos    favoravelmente (mesmo os frívolos e pecadores), pois se esforça em procurar e encontrar em todas as pessoas pontos positivos, este Tzadik (justo, sábio) que se encontra neste nível pode ser chazan e sheliach tzibur, rezar diante do púlpito. Ele tem esse aspecto que é necessário a um sheliach tzibur verdadeiramente apropriado, que todos os pontos positivos o desejam e sejam inclusos nele, pois ele consegue juntar todos os pontos positivos que existem em cada um de Israel, mesmo dos pecadores de Israel.
Saiba que em cada geração há um pastor e ele é um aspecto de Moshe, que é conhecido como o fiel pastor, e este pastor cria um Tabernáculo (Mishkan). As crianças que estudam a Torá recebem o ar que respiram, que não há nele pecado, desse Tabernáculo. Por isso, quando a criança começa a ler e entrar na Torá, ela começa de Vaikrah el Moshe, que possui uma letra Aleph diminuída. Vaikrah fala sobre o fim da construção do Tabernáculo, quando Hashem chamou Moshe e começou a falar com ele de dentro do Tabernáculo.    Por isso, ali começam as crianças, pois de lá recebem seu ar e de lá começam a ler e entrar na Torá.
E saiba que cada um dos Tzadikim da geração é um aspecto de pastor, pois em cada um há um aspecto de Moshe. Cada um deles, de acordo com seu aspecto, cria uma espécie de Tabernáculo, que de lá recebem as crianças seu ar. Conforme o aspecto de cada um, de acordo com a espécie de Tabernáculo que cria, assim ele terá crianças que recebem seu ar de lá. Portanto, encontra-se que cada um dos Tzadikim da geração possui certo número de crianças que recebem dele seu ar, cada um de acordo com seu aspecto. Isso explica o que disseram nossos Sábios, de abençoada memória (aprofundar-se na fonte- Talmud Shabat 33b).
Saber tudo isso, ou seja: saber de cada Tzadik, quais crianças são associadas a ele e quanto recebem dele, saber todos os aspectos que existem nisso e a geração que virá delas até o final dos tempos - saiba que quem pode fazer as melodias mencionadas anteriormente consegue saber tudo    isso. Este é o segredo do que disseram nossos Sábios, de abençoada memória, na Mishnah (Shabat 11a – em relação à proibição de ler sozinho à luz de velas no Shabat, para evitar que mova a vela): "Na verdade, eles disseram, o chazan observa onde as crianças estão lendo". O chazan, ou seja: quem pode fazer as melodias mencionadas, pois ele pode ser chazan e sheliach tzibur e rezar diante do púlpito, observa e sabe onde as crianças estão lendo, ou seja: de qual Tzadik elas recebem seu ar, que através dele elas leem e entram na Torá.
ESTA É UMA VERSÃO DIGITAL, PARA MAIS INFORMAÇÕES ENTRAR EM CONTACT COM SHMUEL PELO E-MAIL a0587700566@gmail.com.
PARA MAIS LER MAIS DOS CONTOS DE R' NACHMAN ACESSE RELATOS DE CONTOS DE REBBE NACHMAN

Continue Lendo...

sábado, 29 de abril de 2017

Veja o Intelecto em Tudo - Primeira Lição da Torá de Likutay Moharan



"Um Judeu precisa ver a sabedoria dentro de tudo para que ela possa iluminá-lo, e assim ele possa se  aproximar de D-us através de cada coisa. Porque esta sabedoria é uma grande luz e iluminará todos os seus caminhos."

Continue Lendo...

sábado, 9 de maio de 2015

Yakov Ben Yehuda levaya - funeral - erev Lag BuOmer 20150506

Continue Lendo...

sábado, 28 de março de 2015

New NaNach Music on Azamra


2 albums from Moshe Cohen, Sunset and Flowing River

Free single Tfilah la'Ani from ha-Lev-I (Shalom Nanach)
 
4 new singles from Oded Yisroel Manshari
 
Muka Shenit a new album from Yehuda HaKabtzan

Continue Lendo...